sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

DIÁRIO DE UMA ESCRAVA | RÔ MIERLING | DARKSIDE BOOKS | RESENHA


 Título: Diário de uma escrava | Autora: Rô Mierling  | Ano: 2016
Editora: Darkside Books | Páginas: 219 |  Nota: 


Diário de uma escrava é um daqueles livros que prende nossa atenção da primeira até a última página, e a cada capítulo traz novos mistérios e descobertas. Adquiri ainda na pré-venda pela loja virtual da Saraiva e aguardava ansiosa pela chegada. Já tinha lido bastante sobre o livro e até divulgado algumas vezes aqui no blog, mas não fazia nem ideia da grandiosidade da obra. Quando chegou, não larguei enquanto não terminei de ler. Rô consegue nos envolver na narrativa, nas histórias que são relatadas sem disfarces, por mais cruel e absurdas que possam parecer. Ela se inspira em casos reais para construir essa história. Estão curiosos??? Então vem conhecer...

SINOPSE
No Brasil, todo ano, 250 mil pessoas desaparecem sem deixar vestígios. Desse total, 40 mil são menores de idade, dos quais um terço são meninas destinadas a fins sexuais. Muitas escapam ou são encontradas, contando histórias terríveis; outras nunca mais são vistas com vida. Laura foi raptada e jogada no fundo de um buraco por um completo desconhecido. Ela vê sua vida mudar, e passa a descrever com detalhes íntimos cada dia, cada ato, cada dor que o sequestro e o aprisionamento lhe fazem passar. Estevão é um homem casado e trabalhador, mas que guarda em seu íntimo uma personalidade psicopata. Ele percorre ruas e cidades se apossando da vida de meninas ainda muito jovens. Mergulhando fundo nessa fantasia, ele destrói vidas, famílias e sonhos, deixando atrás de si um rastro de dor e morte. Narrado em forma de diário, o livro acompanha os momentos mais cruciais da vida de Laura, período em que algo dentro dela também se modifica de uma forma inimaginável em busca da sobrevivência. Publicado originalmente na plataforma digital Wattpad, onde já teve mais de um milhão e meio de leituras, Diário de uma Escrava apresenta um retrato duro, cruel, abominável, mas infelizmente mais comum do que se imagina, no Brasil e em todo o mundo. A obra de Rô Mierling é, acima de tudo, um alerta para todas as mulheres. Através dele, a autora denuncia os diversos tipos de violência que muitas mulheres são obrigadas a suportar em silêncio e nas sombras da sociedade. 


A Editora Darkside Books novamente nos presenteando com exemplares belíssimos. Esse é um dos mais belhos livros que tenho na coleção, sem dúvida. Um grande capricho na escolha da imagem da capa, nas cores das páginas, na diagramação. Com capa dura e marcador. Uma combinação perfeita Darkside e a autora Rô Mierling. 


A história centra-se em Laura, uma moça sonhadora, com um belo caminho pela frente, uma família amorosa e um namorado apaixonado. Toda essa realidade muda quando ela é raptada e jogada em um buraco projetado numa casa afastada da cidade. Ela narra toda experiência dia-à-dia como se fosse um diário relembrando sua vida fora dali, seus sonhos e descobertas. Depois toda violência e humilhação que começa a enfrentar diariamente. Ela torna-se escrava de um homem, que aparentemente tem uma vida normal com família e esposa, mas que em seu íntimo esconde fantasias e desejos extremamente violentos. Ele se realiza raptando adolescentes e as submetendo às piores torturas. Laura não fora a primeira nem será a última, mas ela ainda não sabe disso, ela vai descobrindo aos poucos e da pior forma.

Em alguns momentos, ela tenta escapar, mas teme o que poderá encontrar lá fora. Essa situação vai acabando com suas forças, com sua resistência, sanidade. Ela não sabe como lidar com um homem tão violento e ao mesmo tempo que se diz tão "apaixonado", que cuida dela, dá banho, troca sua roupa, dá comida, diz que a ama, mas que ao mesmo tempo a mantem presa, a estrupa, espanca, humilha, que a tem como um objeto de desejo. Em alguns momentos ela resiste, é agressiva, em outras apática, já em outras ocasiões tenta se mostrar receptiva por temer o que ele continuará fazendo e até onde levará tudo aquilo.

Paralelo a história de Laura também temos conhecimento sobre Estevão, esse homem que a mantem presa. Passamos a conhecer sobre sua vida, como conheceu a esposa e como a mantem distante de tudo aquilo. Das outras experiências que ele tem com as outras jovens. Ao mesmo tempo que mantem Laura presa, continua fazendo mais vítimas, as persegue, as atrai para levá-las a lugares distantes para violentá-las até o limite entre a vida e a morte.

Várias momentos me chamaram atenção. Da forma como essas vítimas são atraídas. A autora nos alerta claramente para os perigos que nos rondam, especialmente a essas meninas (filhas, irmãs, amigas) pré-adolescentes e adolescentes que já se sentem mulheres, donas de si, que diz "saber como se defender" mas que na verdade estão a mercê de homens cruéis como esse, nas redes sociais, no caminho da escola, nas pracinhas perto de casa. Quantos casos vemos nos jornais de meninas que somem sem deixar pistas, de algumas poucas que conseguem sobreviver e nos relatam tantas atrocidades.

Outro momento, quando Laura e Estevão estão em um lugar público, tudo indicaria que algo errado estaria acontecendo, mas ninguém parece ou deseja reparar. Fico pensando quantas vezes olhamos para o lado em lanchonetes por exemplo, em rodoviárias, vemos algo que nos chama atenção mas que achamos melhor não nos envolvermos. Quantas situações poderiam ser evitadas se a conduta fosse outra.


Rô nos revela ao final do livro os casos que a inspirou a escrever a história de Laura, alguns deles eu lembro ter visto na tv e lido na Internet. Casos de meninas que sumiram por anos, e quando reapareceram tinham passado muito tempo presas sendo estupradas, humilhadas, aparecem com filhos, e todos já tinham pensado que estavam mortas, e por isso tinham parado de procurar. Por um descuido do seu agressor, elas conseguiram fugir. Casos, não só de homens, mas também de casais agindo em conjunto raptando essas meninas. Além disso, também situações em que as vítimas teriam se apaixonado por esses homens, tinham estabelecido relações doentias e não conseguiam largar eles, se sentindo perdidas, sem lugar para voltar. A psicologia costuma chamar esse comportamento de "síndrome de Estocolmo" quando a vítima se apaixona, ou se sente ligada de alguma forma ao agressor. 



Gostaria de parabenizar a autora por um excelente trabalho, por uma escrita forte, que mostra uma realidade cruel mas que serve de alerta a todos os perigos que nos cerca. Difícil não nos colocar no lugar de Laura e imaginar sua dor e angustia. O final nos surpreende demais, mas que se pararmos para analisar, conseguimos entender os seus reais motivos. Uma leitura que com certeza, eu recomento !!! 

RESENHA EM VIDEO




SOBRE A AUTORA

Rô Mierling é gaúcha, escritora e contista. Autora de "Contos" e "Crônicas do Absurdo", "Íntimo e Pessoal", "Quando as luzes se apagam", e muitos outros. Coordenadora em mais de 25 antologias, atua na divulgação e incentivo da leitura e escrita junto a diversos projetos como PEGAÍ e Arca Literária. Autora contratada pela Editora Darkside Books. Atualmente mora em Buenos Aires, onde divulga a literatura brasileira.  



Para você que deseja adquirir o livro, já está disponível
nas principais lojas virtuais:



Deixem seus comentários !!!
Quero muito saber a opinião de vocês...

Sobre Lorena Caribé

Olá! Meu nome é Lorena. Estarei compartilhando nesse blog comentários e indicações de leituras. Continuem visitando para novas atualizações!!! E-MAIL: aventuraliteraria@hotmail.com

POSTAGENS RELACIONADAS

Comente com o Facebook:

5 comentários:

  1. Lorena o livro é bastante interessante é uma história que foge do comum de leituras que estamos acostumados a ler,infelizmente nos nossos dias atuais muitas meninas são explorada sexualmente, é uma história forte, a gente só fica triste que ainda essas coisas aconteçam por aí, gostei bastante da resenha, é um livro que não pode deixar de ler, Lorena bjs.

    ResponderExcluir
  2. Esse livro me pareceu ser ótimo, não pelas atrocidades que conta, mas pelo alerta que trás em si. é muito importante que as mulheres/meninas que se acham empoderadas repensem se realmente sabem tudo e se realmente podem se defender de uma pessoa insana dessas. O inimigo nem sempre tem cara de mau, as vezes e na maioria das vezes ele é um "cidadão de bem".
    amei a dica do livro, vou procurar para ler!

    Bjos
    Minda ❤ 💋

    ResponderExcluir
  3. meninaaa, eu adorei sua resenha! nossa, a darkside é um arraso, né? tudo sempre IMPECÁVEL! sobre o livro, já favoritei rpa comprar, adorei mesmo! apesar de ser uma historia pesada, parece ótima

    ResponderExcluir